Cunicultura – Histórico da Criação de Coelhos

Em 2011, Alexander Kellner publicou sobre a origem do coelho de acordo com os fósseis encontrados por Josep Quintana na Espanha, que datam de três milhões de anos atrás e nomeou o fóssil de Nuralagus rex. Com base no fóssil encontrado sugeriu que o coelho tinha 12kg e 1m comprimento.

Cunicultura

Fóssil Coelho

Na figura mostra como seria o coelho a milhões de anos atrás e a comparação entre o crânio do coelho gigante encontrado na ilha Minorca, na Espanha, com o coelho-comum (Oryctolagus cuniculus), uma espécie recente do mesmo grupo.

Domesticação de Coelhos

Alguns registros arqueológicos mostram a origem do consumo de coelhos na Ásia há 3000 anos, também foram encontradas cavernas espanholas com pinturas de coelhos e esfinge na Turquia em formato de coelho de 3500 anos. No século 15 a Inglaterra criava seus coelhos dentro de jaulas imóveis construídas como mostra a figura abaixo.

Registros Arqueólogos de Coelhos na Ásia

A domesticação iniciou no séc. XI e XII durante a Idade Média na África, Espanha, França, Bélgica e Roma. Os fenícios já transportavam coelhos em gaiolas durante as viagens marítimas para se alimentarem, porém a criação em gaiola iniciou pelos romanos e monges franceses.

Embora a origem do coelho seja na Espanha, foram os romanos que descobriram que coelhos mantidos em jaulas poderiam ser criados para consumo de carne para o exército romano e assim distribuídos durante o Império Romano. As Ilhas Baleares, pertencentes à Espanha, chegaram a pedir assistência ao Imperador Augustus de Roma, quando tiveram uma infestação de coelhos que estavam destruindo plantações e as casas das pessoas por cavarem tocas. Nesse momento as tropas romanas foram enviadas para levar ferretes para eliminar os coelhos.

O papa Gregório I, no ano de 600, decretou que os coelhos recém-nascidos não eram considerados carne e, portanto os monges podiam se alimentar deles durante a quaresma. A partir daí os monges franceses iniciaram a domesticação mais precisa selecionando animais por peso, tamanho e cor de pelagem.

No Brasil hoje existem diversas raças de coelhos todas vindas de outros países e o coelho brasileiro chamado Tapiti (Sylvilagus brasiliensis (L.) que não é da mesma espécie dos coelhos comercializados que são domésticos. O Tapiti é um coelho selvagem.

Também existem hoje no Brasil diversos criadores de coelhos com finalidades diversas e duas associações nacionais que buscam divulgar e promover a cunicultura. Uma associação é a Associação Científica Brasileira de Cunicultura e a outra a Associação de Cunicultores do Brasil.

Curiosidades

Coelho e a Páscoa

Os povos germânicos acreditavam na crença de um deus da primavera e da fertilidade chamado Eastre. No festival da primavera os ovos de galinha eram pintados com cores da primavera. O nome do deus Eastre deu origem á palavra Easter que inglês significa Páscoa. Assim uniram os ovos coloridos simbolizando a primavera com o coelho que simboliza a fertilidade. Dessa forma temos hoje a relação entre o coelho da Páscoa.



Gostou desse artigo? Dê seu voto!

(3 votos, média: 5,00 de 5)

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente!
Loading...